Gestão e Operação

Parques de diversão se multiplicam nos shoppings

Por  | Foto Divulgação | 10/2019 | Edição 226

Conforto, segurança e alto fluxo de visitas fazem do setor o preferido dos players de entretenimento

A grande sinergia entre shopping centers e o setor de entretenimento favorece o surgimento de parques indoor, como o Playland

Foi-se o tempo em que os shopping centers eram apenas centros de compra. Por proporcionarem comodidade, conforto e segurança, eles também ganharam a preferência de muitas famílias quando o assunto é lazer.

Segundo o presidente e fundador do Playcenter, Marcelo Gutglas, existe uma grande sinergia entre os shoppings e o setor de entretenimento, potencializada pelo crescimento do e-commerce e consequente mudança de hábito dos consumidores, levando os estabelecimentos a se reinventarem. “As operações de entretenimento ganharam relevância, tornando-se importantes geradores de tráfego e destacando-se no mix dos novos empreendimentos”. Ele também destaca o entusiasmo do público brasileiro por parques de diversão. “Somos o terceiro maior emissor de turistas estrangeiros para a Flórida, nos Estados Unidos. Em 2018, 890 mil brasileiros estiveram em Orlando, a meca dos parques, um crescimento de mais de 8% em relação ao ano anterior”.

Mauro Sousa, diretor da Mauricio de Sousa AO VIVO, acrescenta que a infraestrutura disponível nos malls também é um ponto crucial. “Eles se transformaram em roteiro de entretenimento familiar, contemplando lazer, alimentação, estacionamento, segurança, ambulatório, espaços família com toaletes, fraldários e acessibilidade.”


Tradição e inovação

Voltado para toda a família, o Playcenter Family possui uma unidade, inaugurada em 2018 no Shopping Leste Aricanduva, na capital paulista

Criado nos anos 1960, o Playcenter surgiu com a implementação das primeiras jukebox e fliperamas da capital paulista. Na década seguinte, inaugurou seu primeiro parque de diversão, em frente ao Ginásio do Ibirapuera. Equipado com uma montanha russa de metal, ele fez tanto sucesso que acabou dando origem a um dos ícones da cidade: o Playcenter da Marginal Tietê, fechado em 2012 após 39 anos. “Com o surgimento dos shopping centers, decidimos levar os parques para os centros comerciais, com os Playlands e os boliches automáticos”, revela Gutglas.

Com foco no público infantil, o Playland ocupa até 2 mil m² e conta com uma oferta variada de atrações. Atualmente, são sete unidades, sendo seis no estado de São Paulo e uma em Salvador, BA. Com atrações maiores e uma experiência mais completa para toda a família, o Playcenter Family é outro modelo de parque indoor da empresa. Instalado em uma área de 5 mil m², por enquanto tem apenas uma unidade, inaugurada em 2018 no Shopping Leste Aricanduva, em São Paulo, SP.

A empresa não divulga os números de seus negócios, mas afirma que os investimentos recentes mais expressivos foram feitos na inauguração do Playcenter Family e na reinauguração do Playland do Shopping Eldorado, em julho de 2019. Sobre o crescimento no último ano, o executivo comenta que foi de 18% nos primeiros 8 meses de 2019. “Apesar do baixo desenvolvimento da economia brasileira, a indústria do entretenimento tem tido resultados acima da média dos demais setores”, observa. Para os próximos cinco anos, o grupo planeja manter a renovação do Playland e replicar as operações do Playcenter Family.


Turma da Mônica

Versão compacta do Parque da Mônica, a Estação Turma da Mônica tem duas unidades em shopping, sendo uma em Goiânia, GO, e outra em Olinda, PE

Com uma área mais enxuta do que o Parque da Mônica, maior parque indoor da América Latina, com 12 mil m², localizado no Shopping SP Market, na capital paulista, a Estação Turma da Mônica tem aproximadamente 1.500 m². A versão compacta foi inaugurada no Shopping Cerrado, em Goiânia, GO, em 2017. Em seguida veio a atração do Shopping Patteo Olinda, PE, em comemoração aos 60 anos da Mauricio de Sousa Produções, no primeiro semestre de 2019.

Embora a empresa não informe sobre investimentos, Sousa revela que o aporte estimado no segmento de FECs (Family Entertainment Center) está entre R$ 3 milhões e R$ 5 milhões, dependendo de metragem e localização. “Estamos muito otimistas com o sucesso da Estação Turma da Mônica, por possuírem um modelo bastante eficiente e replicável, ideal para a expansão do live experience, por meio de projetos educativos e de entretenimento com a Turma da Mônica, dentro e fora do Brasil”.

Ele diz que o grupo procura o que há de mais moderno em entretenimento em parques, sem abrir mão da tematização, já que levam a chancela da Turma da Mônica. Entre os futuros projetos estão uma nova Estação Turma da Mônica, no Rio de Janeiro, RJ, que será inaugurada ainda em 2019, e, no segundo semestre de 2020, o Parque da Mônica de Gramado, RS


Para os pequenos

Referência em áreas kids para crianças de até 9 anos, a ToyCompany está presente em estabelecimentos de todo o país, em áreas internas e contêineres fixos ou itinerantes

Com 10 anos de existência, a ToyCompany se tornou referência em áreas kids para pequenos com idade entre 1 e 9 anos, estando presente em shoppings de todo o país, tanto na área interna, como em contêineres fixos ou itinerantes. O proprietário, Mauro Meinerz, conta que a empresa permite a abertura de franquias, sendo que os brinquedos variam de acordo com o tamanho da loja: de 40 a 60 m² (P), de 60 a 100 m² (M) e de 100 a 200 m² (G). “Todas são equipadas com balcão de recepção, kid play (brinquedão), trio kids com airgame kids, basquetoy, multijogos, mesas pranchão, cenografias e área baby”.

Primeira empresa do segmento certificada pelo Sistema de Gestão de Qualidade ISO 9001:2015, a marca atende cerca de cem shoppings por ano. “O setor tem grande importância para o entretenimento, pois são áreas de convivência climatizadas, seguras e frequentadas por toda a família. A ToyCompany investe em empreendimentos mais tradicionais, para ter maior visibilidade do público-alvo”.

Meinerz revela que o entretenimento cresceu 7% no primeiro semestre em relação ao mesmo período de 2018, mostrando que as pessoas estão buscando diversão de qualidade. Diante desse aumento, a empresa investiu R$ 3 milhões em 2019, tendo apresentado crescimento de 25% no último ano. “Em 2020, lançaremos quatro eventos exclusivos, e para os próximos cinco anos, planejamos atingir a marca de 200 franquias distribuídas em todas as regiões do Brasil”.