JAN/FEV 2020 - Edição 227 Ano 33 - VER EDIÇÃO COMPLETA

Cobertura NRF 2020: Feira traz as novidades em robótica e inteligência artificial

5 de fevereiro de 2020 | por Solange Bassaneze
Lojas físicas adotam novas tecnologias para melhorar processos e focam na excelência do atendimento ao cliente

Expositores

De modo geral, a feira da NRF 2020, focou bastante em tecnologia, robótica, realidade aumentada, reconhecimento facial e inteligência artificial. O espaço do Innovation Lab estava maior do que os anos anteriores com a participação de mais de 50 startups que acompanham a transformação tecnológica do varejo. 

“Havia muitos robôs para a gestão operacional e muita inteligência artificial voltada principalmente para mercados. Também trouxeram muitas soluções de meios de pagamentos, desde a leitura de QRCode até a leitura que contabiliza o item retirado da prateleira e colocado no carrinho – o que ainda faz um controle do estoque em tempo real”, afirma Garcia.

“Entre os expositores, a Salesforce, cuja plataforma de CRM é baseada na nuvem, deu um show à parte”, afirma o gerente de Novos Negócios da Abrasce. Além de demonstrar toda tecnologia que oferecem, montaram um estande com imagens de árvores que chamou a atenção dos visitantes com grande enfoque para sua plataforma voltado para o consumidor 360. 

Visitas técnicas

Flavia Cunha estava na delegação da Brasil Varejo e fez algumas visitas técnicas na cidade de Nova York onde foi possível observar algumas das tendências citadas na NRF. Confira alguns destaques!

Rally Rd.

A loja física, implantada no bairro do Soho, veio para explicar o conceito do negócio. A Rally Rd. é uma plataforma criada para que seus membros possam ter acesso e investir em itens colecionáveis, uma forma de democratizar esse tipo de investimento. Depois de todas as cotas vendidas, o produto pode ir a leilão, caso 50% dos investidores aceitem vendê-lo. Após a venda concluída, cada um recebe o equivalente a suas ações. Na loja física, alguns destes itens estão expostos. 

Nordstorm 

O co-presidente da empresa, Erik Nordstrom, palestrou na NRF e a delegação da Brasil Varejo foi conferir de perto as mudanças implementadas pela marca. Com o objetivo de inovar o modelo das lojas de departamento, que têm sofrido com as quedas das vendas, a Nordstrom criou uma série de serviços nos espaços, como customização, bares e restaurantes espalhados por cada setor. No departamento de calçados, por exemplo, há o Shoe Bar, enquanto o cliente prova o sapato pode tomar uma bebida ou comer algo. Para isso, colocaram mesas e poltronas confortáveis. Vendedores atentos também auxiliam os consumidores durante as compras. 

Camp

Ao entrar na loja de brinquedos, adultos e crianças são surpreendidos. Parece pequena à primeira vista, mas a Camp, inaugurada há pouco mais de um ano, tem uma parede secreta. Quando esta parede é aberta pelos monitores, surge uma série de atividades e oficinas para pais e filhos interagirem juntos. A cada dois meses, o espaço patrocinado é totalmente remodelado. Há uma área ainda com itens retrôs à venda para o público adulto. O modelo de negócio faz com que 1/3 da receita seja obtida pela venda de brinquedos; 1/3 dos patrocínios dos espaços; e o restante corresponde às oficinas e aos serviços. A loja ainda oferece um serviço similar ao de uma babá aos sábados, que tem feito muito sucesso. A criança pode ficar na loja brincando com os monitores, como uma noite do pijama, das 18 às 21 horas. Durante este período, acontecem oficinas, hora da história, pizza e muito mais. Enquanto isso, os pais podem aproveitar um programa a sós. O valor do ingresso para essa atividade custa US$ 60. 

Hudson Yards

Com investimento de US$ 25 bilhões, é o empreendimento imobiliário mais caro da história dos Estados Unidos. Trata-se de um complexo misto com shopping, condomínio residencial e centro empresarial. Além disso, tem como grande atrativo a Vessel, uma estrutura de 45 metros de altura em que possível subir e ter vistas panorâmicas de Manhatan. Projetado pelo Heatherwick Studio, é formada por um conjunto de 154 escadas e 2.500 degraus. O Hudson Yards é o maior empreendimento construído na cidade depois do Rockfeller Center.

American Dream

Apesar de não estar na agenda das visitas técnicas, o American Dream é um case a ser citado. Com o objetivo de ser um shopping de destino, o empreendimento terá 50% das operações voltadas para o entretenimento e já possui quatro em funcionamento: parque aquático, parque da Nickelodeon, pista de patinação e área para ski e snowboarding. Mesmo sem estar completamente em funcionamento, já possui um bom fluxo.

  • GOSTOU? COMPARTILHE: