JAN/FEV 2020 - Edição 227 Ano 33 - VER EDIÇÃO COMPLETA

Cobertura NRF 2020: heads de empresas como Microsoft e Starbucks dividiram suas experiências com os presentes

5 de fevereiro de 2020 | por Solange Bassaneze
Confira algumas das palestras que foram destaque durante o evento

Uma das palestras mais aguardadas pelo público foi do Satya Nadella, CEO da Microsoft, que falou sobre o papel que os dados desempenham no setor de varejo. 

Segundo ele, o varejo produz 40 terabytes de dados por hora que devem ser usados para conhecer o comportamento do consumidor, capacitar os colaboradores e criar uma cadeia inteligente de dados, além de reinventar os negócios. Para isso, é preciso criar a própria a capacidade digital e os dados devem ser compartilhados com os funcionários. 

A palestra de Satya Nadella, CEO da Microsoft, abriu a NRF 2020

“Isso aumenta a taxa de conversão em 15% e a de satisfação em 10%”. E exemplificou com a Ikea, que desenvolveu um aplicativo em que os funcionários reorganizam seus horários para que gerenciar melhor suas necessidades e o tráfego das lojas. Com isso, reduziu seis níveis administrativos entre quem usa e quem desenvolve tecnologia. 

Nadella disse, ainda, que é preciso mudar a dinâmica da publicidade on-line, utilizando cada vez mais os dados do comportamento do consumidor em benefício das marcas e dos fornecedores. 

Inovação 

O bate-papo de Kevin Johnson, CEO da Starbucks, conduzido por Stephanie Mehta, editora-chefe da Fast Company, também repercutiu bastante. O executivo mostrou como a empresa continua inovando para surpreender o cliente. Atualmente, a companhia tem mais de 31 mil lojas, atende mais de 100 milhões por semana e busca continuamente por inovação. Recentemente, montou o Tryer Center, um laboratório de inovação e experimentação, cujo trabalho é realizado por equipes pequenas e multifuncionais com o foco voltado aos clientes e aos parceiros da marca. 

Kevin Johnson, CEO da Starbucks, falou sobre a importância de ter o consumidor no centro

Segundo ele, o centro de tudo está na conexão humana, mesmo com o uso de Inteligência Artificial. Essa ligação com o cliente atinge o mais alto nível de todos os tempos e a Starbucks, que tem 49 anos e pretende chegar ao centenário, sempre teve como missão “inspirar e nutrir o espírito humano – uma pessoa, uma xícara e uma vizinhança de cada vez”. A empresa se posiciona como o terceiro lugar, depois da casa e do trabalho, que oferece a oportunidade das pessoas compartilharem uma xícara de café e se conectarem. 

“Como seres humanos, fomos criados para interagir um com o outro e é assim que obtemos energia”. Johnson citou ainda como as ações que podem impactar a humanidade ganham força dos consumidores. Foi o que aconteceu quando a empresa anunciou o fim do uso de canudos plásticos. “Houve uma resposta massiva nas mídias sociais, bilhões de pessoas no planeta torceram por nós para dar esse único passo. Isso me leva a crer que há sempre uma oportunidade de fazer muito mais e é isso que pretendemos fazer”. 

Noite brasileira na Quinta Avenida

O 4ª Coquetel Retail Group reuniu mais de 380 executivos C-Level em Nova York no 230 Fifth Rooftop Bar. “Com a missão de proporcionar networking entre os participantes, foi o maior evento de brasileiros e o mais comentado da NRF. Tivemos a presença de executivos de várias delegações como Grupo GS & Gouvêa de Souza, BTR-Varese e Brasil Varejo”, conta Ricardo Garcia, gerente de Novos Negócios e Parcerias da Abrasce. 

Durante quatro horas, varejistas, empreendedores de shopping centers e fornecedores puderam conversar sobre negócios em um ambiente descontraído. “Inicialmente, tínhamos previstos um evento para 250 convidados. Como tivemos recorde de patrocinadores, conseguimos aumentar em mais de 50% o número de convidados”. 

Segundo Evandro Ferrer, CEO da Ancar Ivanhoe, grupo empreendedor patrocinador do evento, a experiência foi muito positiva. “O coquetel conseguiu reunir quase 400 lojistas e parceiros em Nova York. Essa concentração gera muita troca com pessoas que têm o poder de decisão na mesa. Não que tenhamos feito negócio, mas estreitamos relações. Sou um incentivador deste tipo de iniciativa”, relata. 

Tainan Paglini Alves, head de eventos corporativos da VTEX Brasil, acredita que o fato de todos os participantes estarem com um crachá de identificação, entregue na entrada do evento facilitou muito a troca e a interação. “Foi um evento agnóstico que deu a oportunidade para a comunidade brasileira se juntar e conversar. O público era bem selecionado e o local também foi um diferencial”, complementa Tainan. 

Segundo Hynde Fonseca Neto, diretor comercial da Cielo, é um evento de muito networking, no qual os brasileiros se reúnem para trocar conteúdo, melhores práticas e experiências e também para confraternizar. “Minha decisão de patrocinar esse ano foi justamente por ter participado em 2019. É um momento que temos para se aproximar de clientes, fornecedores e parceiros e essas conexões geram negócios”, afirma Neto. 

Bruno Gomes Cardia Rodrigues, gerente comercial da Panasonic, avalia também como positiva a participação da empresa, que agora tem uma área voltada para B2B. “Foi uma experiência única e muito importante para conhecer esses grandes influenciadores do mercado e conversar sobre esse processo de transformação digital que os shoppings e o varejo estão passando”. 

  • GOSTOU? COMPARTILHE: