JAN/FEV 2020 - Edição 227 Ano 33 - VER EDIÇÃO COMPLETA

Jarbas Homem de Mello: um dos ícones do teatro musical

4 de fevereiro de 2020 | por Solange Bassaneze
Ele carrega em sua trajetória mais de 20 grandes espetáculos e sempre está pronto para encenar o próximo personagem

“Nasceu para isso”. Quantas vezes você já ouviu ou falou essa frase? Com certeza, muitas vezes. É difícil imaginar certas pessoas fazendo algo diferente do que escolheram como profissão. Esse é o pensamento do público quando vê o cantor, ator e dançarino Jarbas Homem de Mello nos palcos. 

Sua atuação emociona a plateia. O encontro com a arte aconteceu quando era criança. Começou a fazer teatro na escola e como ele diz ‘encontrou sua turma’. A relação com a música também se iniciou na primeira infância ainda no ambiente familiar. Sua mãe tocava sanfona e violão, os tios maternos tinham dupla sertaneja e ele foi cantar no coral da igreja. Mais tarde, montou uma banda de rock com os amigos e isso o ajudou muito a ter domínio de palco. 

Artista completo

Natural de Novo Hamburgo, as danças folclóricas do Rio Grande do Sul também o levaram para a dança. Unir as três habilidades – canto, dança e atuação – foi algo orgânico. Hoje, é considerado um dos maiores nomes do teatro musical do país. É um artista completo e muito competente. 

Seu primeiro musical foi Rent, montagem da Broadway, em 1999, e daí por diante não parou mais. A cada ano, estreia em um grande espetáculo. São mais de 20 no currículo como O Fantasma da Ópera, Constellation, Roque Santeiro, Chaplin, o musical, entre outros. Em alguns, ainda dirige. 

“Comecei no teatro amador na minha cidade e nesse grupo fazíamos tudo: o cenário, o figurino, a luz, a trilha sonora, o roteiro. Por isso, acabei me tornando um diretor também. Eu tenho a exata noção de tudo o que está acontecendo do que precisa acontecer para se levantar um espetáculo”, diz.  

Salto de qualidade 

Em duas décadas, houve um salto qualitativo muito grande no teatro musical no Brasil. “Criamos essa indústria em apenas vinte anos, o que é algo incrível de ter acontecido. No início, não tínhamos atores preparados, nem técnicos, nem diretores, nem músicos e maestros. Agora, só na cidade de São Paulo, temos quatro escolas profissionalizante de musical, e no Rio de Janeiro, são duas”, conta. 

Por percorrer teatros de todo o Brasil, o artista reconhece a importância de se ter teatros em shoppings. “Eu acho fundamental, ainda mais nas grandes cidades por causa da violência crescente.  É algo muito bom, porque a pessoa estaciona com segurança e pode jantar depois, por exemplo. Os shoppings novos, que estão sendo construídos e estão sendo inaugurados em grandes cidades, já têm a preocupação de ter uma sala eficiente e competente.” Seus shoppings preferidos no Rio de Janeiro são o Leblon e o VillageMall, por conta dos teatros Oi Casa Grande e Multiplan, respectivamente. 

Sem parar

Fazer musical é um trabalho árduo que exige muito do artista. Geralmente, os ensaios duram dois meses e são realizados seis dias por semana durante oito horas por dia. Essa dedicação é essencial porque é preciso aprender muitas coisas em pouco tempo: coreografias, texto, marcações, músicas… E o artista precisa manter uma rotina para estar pronto para encenar. 

Homem de Mello faz quatro aulas de dança por semana, malha todos os dias, faz curso de teatro e estuda voz sempre. “Preciso estar com o meu corpo preparado. Senão, não aguento fazer o espetáculo. Conserto para Dois, por exemplo, em 1h45 de palco, eu e a Claudia Raia fazemos sete personagens. Então, preciso estar bem fisicamente e vocalmente”, ressalta. 

“O Jarbas fora dos palcos sempre está se preparando para estar nos palcos porque é meu trabalho, é meu estilo de vida, é a vida que eu escolhi.”

Segundo ele, Chaplin foi o personagem que mais exigiu dele até agora. “Além das muitas comparações feitas com o verdadeiro Chaplin, era uma curva dramática muito grande e trabalhosa, pois eu interpretava a trajetória dele dos 13 até os 80 anos”, conta. 

Agenda

Agora em 2020, a agenda já está bem concorrida. Começa com uma temporada em Portugal do espetáculo Conserto para Dois. Em maio, retorna ao Brasil e inicia uma turnê pelo Nordeste. Ao mesmo tempo, estreia o programa Talentos, o novo reality show da TV Cultura. Em julho ou agosto, o musical deve chegar a São Paulo. Em paralelo, ainda toca mais dois shows Jarbas Homem de Mello canta Queen e Jarbas Homem de Mello canta Belchior. 

No ano passado, ele apresentou o reality show Cultura, o Musical, também na TV Cultura. “Foi incrível fazer esse programa como apresentador porque eu sempre estava atrás de um personagem para me comunicar com o público e esse programa me permitiu ser eu mesmo. Para o reality Talentos, a minha expectativa está a melhor possível. É importante democratizar o teatro musical e levar para dentro da casa das pessoas esse conhecimento de novos talentos do Brasil inteiro que querem ingressar na carreira”. 

Em agosto, o artista completa 50 anos e segue com muitos planos e energia de sobra. “Você achar que chegou a algum lugar é o grande erro porque nunca estamos prontos. Teremos sempre sonhos e desejos a serem realizados. Eu tenho muito projetos pela frente ainda”, diz. 

Dificuldades 

De acordo com Homem de Mello, a maior dificuldade de fazer teatro no Brasil é incentivo fiscal por parte do governo e da empresa privada. “É fazer com que os governantes e as pessoas entendam a importância da cultura para a sociedade e para a nação. A cultura é a identidade de um povo e não se pode criminalizar o artista”, defende ele.  

“Estou nesta profissão há mais de 20 anos. Talvez, por isso, me considerem um dos principais atores do teatro musical do país. Além disso, acredito que, quando vai ficando mais velho, acaba virando referência dos novos artistas que estão chegando. Mas eu nem penso sobre isso. Vou trabalhando, realizando os meus projetos e tornando reais os meus sonhos.”

E o musical caiu no gosto do brasileiro. Muitas sessões ficam esgotadas, o que é um demonstrativo também da avaliação positiva do público. “O brasileiro é muito musical, nós temos uma herança musical muito grande. A emoção de ter uma plateia esgotada é incrível pois vê seu trabalho sendo reconhecido. É bom demais. É o sonho de qualquer ator”. 

Incentivo dentro de casa

Casado com Claudia Raia, Jarbas tem ainda todo o apoio da esposa e, em alguns espetáculos, dividem o palco como, agora, em Conserto para Dois. Eles se conheceram em 2009 quando trabalharam juntos em Pernas pro Ar. Primeiramente, nasceu uma grande amizade e depois veio o relacionamento.

Em 2018, resolveram celebrar a união em cerimônia íntima. A troca profissional faz parte do relacionamento do casal. “Sonhamos juntos, temos projetos em paralelo, torcemos um para outro sempre e nos ajudamos. É uma relação muito construtiva”, conta. 

Os preferidos de Jarbas Homem de Mello
  • Diretor: José Possi Neto
  • Autor: Ariano Suassuna
  • Livro: Moby Dick, que está lendo agora
  • Filme: Moulin Rouge
  • Lugar: Palco
  • Musical: Conserto para Dois
  • GOSTOU? COMPARTILHE: