JAN/FEV 2021 - Edição 233 Ano 34 - VER EDIÇÃO COMPLETA

Autoprodução energética, uma tendência adotada pelo setor de shopping centers

15 de fevereiro de 2021 | por Solange Bassaneze | Fotos: Divulgação

Conheça alguns empreendimentos que investem em energia solar fotovoltaica

O uso de energia solar fotovoltaica vem crescendo no Brasil a cada ano e já trouxe mais de R$ 38,2 bilhões em novos investimentos privados. Desde 2012, são de 7,4 GW de potência operacional gerados. Minas Gerais é o estado que concentra a maior produção, segundo dados divulgados em janeiro pela Absolar (Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica). Por ser uma fonte renovável,  foi evitada ainda a emissão de mais de 1,1 milhão de toneladas de CO2 na atmosfera. O setor de shopping center também começa a aderir a essa tendência. 

“Há alguns anos a energia fotovoltaica não era uma realidade, era ineficiente e com preços proibitivos. Porém, recentemente, essa lógica mudou, observamos custos decrescentes e eficiência constantemente aprimorada”, afirma Bernardo Tacla, diretor financeiro do Grupo Tacla Shopping.

Porto Belo Outlet Shopping com placas fotovoltaicas - Revista Shopping Centers
Porto Belo Outlet Premium é capaz de gerar a energia consumida pela área comum com o uso de placas fotovoltaicas

Com a maioria do portfólio no Paraná e em Santa Catarina, o Grupo Tacla mostra o quanto é vantajoso investir em energia solar fotovoltaica. A primeira implantação de uma usina solar foi no Porto Belo Outlet Premium em 2017, atendendo 100% do consumo comum do empreendimento. “O projeto foi menor de 0,67 MW, justamente para testarmos a viabilidade da tecnologia e os resultados atenderam perfeitamente as expectativas. O fato de ser uma energia limpa contribuiu muito na tomada de decisão da companhia, o que demonstra o compromisso do grupo às premissas ESG (Environmental, Social and Governance)”, diz Tacla. 

Bernardo Tacla Grupo Tacla Shopping - Revista Shopping Centers
Bernardo Tacla, diretor financeiro do Grupo Tacla Shopping

Segundo Michael Domingues, superintendente do Porto Belo Outlet Premium, a implantação do sistema de energia solar é resultado de uma nova percepção de responsabilidade ambiental por parte do empreendimento e do Grupo Tacla, além da geração de uma economia efetiva e sustentável. “Com o sistema, o Porto Belo Outlet Premium passou a ser produtor e consumidor da própria energia, em um total de 800 mil kWh/ano. São 1.992 módulos solares de 330W cada e 9 inversores WEG Huawei de 60 kW cada, instalados no outlet. A potência energética equivale ao consumo mensal de 412 residências” detalha o superintendente. Essa tomada de decisão ainda contribui para o meio ambiente já que 560 toneladas de CO2 por ano deixaram de ser emitidas para a atmosfera.

Ainda no primeiro semestre de 2021, o Grupo Tacla inaugurará o Shopping Palladium Umuarama. Seguindo o mesmo conceito, investiu R$ 5,2 milhões na geração de energia limpa. “Além de nos adequarmos às boas práticas sustentáveis, evitamos imprevisibilidades de mercado que grandes consumidores incorrem, resultando em uma independência energética maior. A volatilidade de preços no mercado livre ou cativo é superada, permitindo economia e previsibilidade de custos aos lojistas”, detalha Tacla. 

O novo empreendimento foi escolhido para essa tecnologia por estar situado na região Noroeste do Paraná, que possui os maiores níveis de radiação solar do estado. “Não poderia ter shopping mais privilegiado para receber o sistema de geração fotovoltaica que desenvolvemos, trazendo economia de custos significativos aos lojistas”, reforça o diretor financeiro. 

Cobertura solar Palladium Umuarama - Revista Shopping Centers
Vista da cobertura do Palladium Umuarama com as placas fotovoltaicas 

Por ser um greenfield, o Shopping Palladium Umuarama já foi projetado para suportar a carga de 80 toneladas no telhado. “Fizemos também todo o dimensionamento do consumo futuro para inaugurarmos o shopping em abril de 2021 já com a usina em funcionamento e assim suprir toda a necessidade comum de energia do empreendimento”, explica. 

A usina possui 1,3 MW com 3.220 módulos, capaz de gerar 1,817 milhão kWh/ano, equivalente ao consumo de 1 mil residências. Trata-se do maior projeto de geração distribuída no estado do Paraná e está entre as maiores usinas em telhado do Brasil. O uso de energia renovável no empreendimento Umuarama ainda evitará a emissão de 1.270 toneladas de CO2

Rio de Janeiro

O VillageMall, localizado na capital fluminense, tem sido abastecido por completo desde 2019 por um conjunto de usinas fotovoltaicas, construído pela EDP, em Itacarambi, no norte de Minas Gerais. “Em junho de 2020, o complexo fotovoltaico desenvolvido para suprir a demanda energética do VillageMall completou um ano em operação. O projeto atingiu em 12 meses 93% da geração previamente estimada, de 17.520 GWh. O custo de geração desta energia é 49% menor do que o do mercado cativo, o que equivale a uma economia de R$ 5,9 milhões”, explica Gabriel Palumbo, diretor regional da Multiplan no Rio de Janeiro. 

VillageMall RIo de Janeiro - Revista Shopping Centers
Imagem do VillageMall, empreendimento da Multiplan localizado no Rio de Janeiro

Foram investidos R$ 32 milhões no parque solar e, em um ano, o complexo evitou a emissão de quase 15 mil toneladas de CO2

Parque Solar VillageMall em Minas Gerais - Revista Shopping Centers
Parque solar que abastece o VillageMall (RJ) fica localizado no estado de Minas Gerais

Em agosto de 2020, foi inaugurada uma nova usina fotovoltaica, construída pela SolarGrid e localizada em Paty de Aiferes (RJ), que abastece a sede da Multiplan no Rio de Janeiro. O projeto deve gerar redução anual de cerca de 80% de suas despesas com energia. Com 2.460 módulos fotovoltaicos e potência máxima de 900 kWp, o complexo evitará a emissão de 154 toneladas de CO2 por ano. A previsão é de que o investimento de mais de R$ 4 milhões seja compensado em até cinco anos.

“Isso representa mais um passo nessa direção e reflete a nossa busca permanente por sustentabilidade ambiental e econômica. A Multiplan investe também na geração própria de energia por meio de painéis solares instalados diretamente em três empreendimentos: ParkShoppingSãoCaetano, ParkShoppingCampoGrande e ParkShoppingCanoas”, enfatiza Palumbo.

Outra forma de reduzir a conta de energia

O mercado livre de energia é uma alternativa que os empreendimentos também têm buscado nos últimos anos. Isso ocorre porque os contratos de compra e venda de energia são negociados entre consumidores e geradores, sem a intermediação das distribuidoras. Por outro lado, é mais complexo do que o mercado cativo e está sujeito a variações do mercado. Para poder ter acesso, é preciso ter consumo mínimo de energia 500 kW em alta tensão, o que representa uma conta mensal acima de R$ 40 mil. 

Adquirir energia limpa pelo mercado livre também é possível. O Shopping Itaigara migrou para esse modelo em 2017. A superintendente do empreendimento Thaís Leal diz que o consumo mensal reduziu em 28% desde então. “A energia incentivada que o Shopping Itaigara contrata, advinda de fontes renováveis como eólica, solar e de pequenas hidrelétricas, é suficiente para suprir 100% das necessidades energéticas do shopping”, explica. Essa escolha ainda reforça o compromisso do empreendimento com a preservação do meio ambiente. 

Energia Solar no Shopping Itaigara - Revista Shopping Centers
O Shopping Itaigara reduziu a conta de energia em quase 30% e utiliza energia limpa adquirida no mercado livre | (Foto: Roberto Abreu)

O empreendimento tem um contrato com a Omega Energia, uma das principais geradoras de energia 100% limpa e renovável no país. “Na contratação, as empresas podem escolher seus fornecedores e o tipo de energia a ser consumida. A redução no custo de energia pode chegar até 30%”, explica Fernando Senna, diretor de Energia Digital da Omega Energia. 

“Nossa consultoria, a América Energia, nos apresentou essa oportunidade e realizou todo o processo de contratação de energia, que atende perfeitamente nossa necessidade e objetivo. Não é preciso investimento em infraestrutura”, complementa Thaís. 

Thaís Leal Superintendente Shopping Itaigara - Revista Shopping Centers
Thaís Leal, superintendente do Shopping Itaigara | (Foto: Roberto Abreu)

Em 2020, a Omega lançou uma plataforma 100% digital, na qual empresas aptas a consumir no mercado livre de energia e suas consultorias podem comprar energia limpa. A ferramenta é simples, segura e transparente, com muito menos burocracia, facilitando o acesso a esse tipo de energia mais sustentável e seus benefícios. “Nossos clientes têm a economia de consumir no mercado livre, somada à segurança de comprar diretamente de um grupo gerador, podendo consumir energia 100% sustentável. Tudo isso com a facilidade de comprar de forma totalmente digital, fechando operações em poucos cliques”, finaliza Senna. 

Fernando Senna Energia Digital Omega Energia - Revista Shopping Centers
Fernando Senna, diretor de Energia Digital da Omega Energia
  • GOSTOU? COMPARTILHE: